Páginas

terça-feira, 12 de dezembro de 2017

Beijing, muito mais que palavras: Um olhar sobre os obstáculos ao avanço da mulher

São Paulo, 12 de dezembro de 2017

 Por Marcelo Cardoso.

Na obra Beijing, muito mais que palavras: A Quarta Conferência sobre a Mulher da Organização das Nações Unidas – ONU a historiadora Rosana Schwartz revela que após 22 anos, desde a realização da maior e mais importante conferência já realizada sobre os direitos da mulher, apenas metade das metas traçadas foram colocadas em prática.
As conferências mundiais das Nações Unidas representam possibilidades de se alcançar avanços na luta das mulheres por políticas públicas e leis protetivas, como a Lei Maria da Penha, no Brasil. Por meio das conferências se estimulam a criação de espaços de diálogo e de instrumentos jurídicos que tornam mais visível o tema e provocam a conscientização sobre a situação de vulnerabilidade, discriminação e inferioridade das mulheres em todo o mundo.
Durante a IV Conferência das Nações Unidas sobre a Mulher realizada em 1995, em Pequim, na China, estabeleceram-se doze áreas críticas de preocupação e obstáculos para o avanço da mulher, entre elas: Pobreza, Educação, Saúde, Violência, Conflito Armado, Direitos Humanos e Meios de Comunicação.
 Como resultado da conferência foi criada uma plataforma com objetivos estratégicos e ações a serem realizadas durante os próximos anos pelos governos, pela comunidade internacional, por organizações não-governamentais e pelo setor privado para remover os obstáculos ao avanço da mulher.
Mesmo com a mobilização, o cenário ainda está longe do ideal: 43 mil mulheres foram assassinadas no Brasil nos últimos dez anos. Uma mulher é morta pelo parceiro a cada 90 minutos. Por isso, ao abordar a temática e apresentar análises e críticas, Beijing, muito mais que palavras” abre um espaço importante para o debate em torno das questões de gênero, da emancipação e dos direitos da mulher no Brasil e no mundo.


domingo, 30 de julho de 2017

O 13º Congresso Mundos de Mulheres (MM) – um encontro internacional e interdisciplinar de e sobre mulheres – acontecerá conjuntamente ao Seminário Internacional Fazendo Gênero 11 (FG)  entre 30 de julho e 4 de agosto de 2017 em Florianópolis, SC, Brasil, no campus da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC).
A temática que norteará o encontro é "Transformações, Conexões, Deslocamentos". Com isso, queremos alargar esse lugar de diálogo para uma perspectiva mundial, afastada da hierarquia Norte-Sul, ou seja, um espaço onde se possa ouvir outras vozes, novas propostas, valorizar saberes, ampliar horizontes de estudo e de ativismo. Desse modo, seremos capazes de pensar e propor perspectivas inclusivas para os estudos feministas e possibilidades de construção feminista.
Será uma oportunidade única de cruzar experiências, pesquisas, vozes ao redor do mundo sobre questões de mulheres e gênero. O Congresso Mundos de Mulheres (MM) será realizado na América do Sul pela primeira vez.
Não perca a oportunidade de avaliar e discutir, tanto teorica como praticamente, as questões mais importantes sobre feminismos da atualidade. 

Estarei apresentando no ST 157 sessão 1 (31/07/17 das 08:30 às 12:30)
Local:  Sala 108 - CSE, 1º andar

  • Rosana M.P.B.Schwartz (Mackenzie), Bethina Oger Garcia (Mackenzie), Patrícia Dias Creti (Universidade Mackenzie)

  • O processo de Moulage, performático na desconstrução da moda e autoimagem: gênero, sociedade e cultura.
    Resumo: Esta pesquisa teve por objetivo problematizar a mo... Veja mais!
    Moulage, corpo, moda, sociedade e cultura.